Arquivo da categoria: Sem categoria

Meu Presente de Natal!

Imagem

Quando acordei no dia 25 fui até a árvore de natal ver se tinha algum presente para mim. Uma caixa com meu nome me chamou a atenção. Era vermelha e com dizeres em letras garrafais: ABRIR APENAS NO DIA 31 DE DEZEMBRO. Como ainda acredito em Papai Noel achei melhor manter a caixa fechada e deixar o bichinho da curiosidade me remoer por longos seis dias.

Enfim chega o esperado dia, após noites e noites a rolar pela cama, quase quebrar o trato firmado com o bom velhinho e abrir a caixa antes, eis que me encontro frente a frente com meu presente. Desamarro a fita que a envolvia e retiro a tampa bem devagar esperando o pior. Um dragão baforando chuva acida saindo pela caixa, ou então o Sergio Malandro gritando “RÁÁÁÁÁÁÁÁ PEGADINHA DO MALANDRO” e toda a minha família em volta rindo da minha cara de tacho.

Mas nem se tivesse o Ninja Preto Canibal do Piauí dançando o Gangman Style o meu espanto teria sido maior. O tão esperado presente era um kit banho composto por sabonete, shampoo, cotonete, escova de dente e toalha. Senti-me mais imundo que o Cascão. Logo pensei “Esse Papai Noel deve estar de palhaçada”. Entrou na era das pegadinhas. Ou então o alemão esta fazendo a cabeça dele e ele confundiu os presentes. Nem um cartão ou o manual de instruções sobre o kit ele deixou. Tomo banho todos os dias, até uso perfume. Contrariado e sem contar nada a ninguém corri para o banho com meu mais novo presente. Já que ganhei irei usar, pensei.

Abri o chuveiro, esperei a água esquentar e colocando primeiro a metade direita do corpo para me acostumar com a temperatura da água, e começo o meu banho. Pego o frasco que esta escrito apenas: shampoo. Uma embalagem pequena onde se lê apenas: Utilizar apenas uma vez. Sem pensar abri e despejei o conteúdo na minha cabeça. Percebo que todos os pensamentos negativos e ruins que me atormentavam começam a deixar a minha mente e escorrer pelo ralo junto com a espuma. Planos e ideias novas brotam em minha cabeça e já começo a me animar com o ano que está para chegar.

Em seguida, já animado pelo primeiro acontecimento, pego o sabonete e passo a esfrega-lo pelo corpo e sinto toda aquela carga pesada de energias que estavam impregnadas irem embora e uma enxurrada de novas energias me invadirem e iluminar o meu corpo. O sabão cai em meus olhos, mas não arde, em vez disso, tira todas as visões distorcidas e deturpadas que eu tive no ano que passou e me dá um foco novo. Um olhar mais intenso e mais claro para que eu possa sempre seguir em frente.

Com o cotonete levo embora tudo àquilo que me falaram e que não presta, mas que se alojou em meus ouvidos. Toda aquela sujeira preta e imprestável se vai e agora tenho uma audição apurada para ouvir apenas aquilo que me fará bem. Para encerrar o banho uma toalha fofa e macia me aguarda e me envolve com calor, um verdadeiro abraço de mãe, que me revigora e faz estar pronto para o novo ano que se inicia.

Assim abro a porta e deixo o vapor do banheiro para trás, junto com os presentes que se vão e corro para janela a tempo de ver o último pôr do sol do ano que nos deixa e agradecer o maravilhoso presente que o bom velhinho me deu.

Feliz 2013 a todos!

Anúncios

O Pequeno Mark.

Imagem

Era uma vez um menino chamado Mark. Único filho homem em uma casa cercada de mulheres. Eram três irmãs mais a sua mãe. Como era o caçula o pequeno Mark sempre sofreu na mão das meninas, tinha que brincar de casinha, salão de beleza e todas essas coisas, sempre sendo a cobaia, provando a gororoba que elas preparavam ou então sendo maquiado e tendo o cabelo escovado e penteado quase que diariamente.

Na escola não tinha amigos. Sempre foi muito reservado e gostava de estudar, por isso aprendeu a recitar poesias e a falar cinco idiomas, dentre eles o hebraico e o latim. Por seu comportamento tímido sofria bullying de seus colegas de classe, tinha seu lanche roubado todas às manhãs e chorava escondido. Após anos sofrendo com isso, prometeu vingança a todos, suas irmãs, colegas de escola e qualquer um que o fizesse sofrer.

Quando teve contato com um computador pela primeira vez, foi paixão a primeira vista, mas como todo caso de amor, não foi fácil, o pequeno Mark sempre era o último da casa que podia fazer seus desenhos no Paint ou escrever textos no Word, suas irmãs passavam horas jogando Paciência e o coitado tinha que ficar apenas esperando a sua vez para poder encostar no mouse. Assim que todos da casa dormiam, ele ia até o escritório para enfim poder ter alguns minutos de tranqüilidade e desfrutar daquela maravilha tecnológica. Foi assim, nas madrugadas frias e quietas que aprendeu a programar e desenvolver softwares. Então percebeu que através do computador o seu plano de vingança enfim a tomaria forma.

Todas as suas frustrações de criança enfim sairiam do papel. O pobre Mark nunca teve um jogo de tabuleiro, pois não tinha com que jogar. Sempre quis ter um War, um Banco Imobiliário, um Jogo da Vida, um Detetive, mas não tinha com quem jogar. Sabedores disso seus pais sempre o presenteavam com suéter e Acquaplays para que pudesse se distrair.

O plano do agora terrível Mark era ousado, criar uma rede social, onde todos pudessem colocar a maior quantidade de informações a respeito de suas vidas, seus hábitos e gostos. Ela se espalharia pelo mundo, como um exército vermelho em um tabuleiro de War, derrotando outras redes sociais, até conquistar a Ásia a Oceania e mais um território a sua escolha. Depois iria capitalizar em cima de seu negócio e poder ter todo o dinheiro do mundo, para comprar tudo que desejasse. Poderia comprar a Vieira Souto, colocar quatro casas e um hotel, se tornar um verdadeiro banco. Sua cartada final seria controlar a vida de seus inimigos sem que eles percebessem, assim como em um Jogo da Vida, giraria a roleta e indicaria quantas casas avançar se iria colocar mais um filho no carro, escolher a profissão e se iria se aposentar e viver com a grana das ações da bolsa.

Parece que seu plano deu certo, seus inimigos estão aniquilados, e ninguém sabe qual será o próximo passo do pequeno e vingativo Mark. Vamos acompanhar.

Uma reflexão de merda!

Foi justamente em um dos únicos momentos do dia em que paro para pensar na vida, que comecei a pensar na idéia deste texto. Não! Não foi sentado no trono (mas iria a calhar também), mas embaixo do chuveiro que comecei a pensar em como esses poucos momentos fazem toda a diferença na nossa vida.

Vivemos cada dia correndo mais e mais, sabe-se lá para se chegar aonde, mas continuamosem frente. E observando as pessoas aqui da repartição, vejo que muitas nem água conseguem tomar durante o dia. Além de todos os problemas fisiológicos que isso pode acarretar, a pessoa não tem um tempo para respirar fundo, dar um gole naquela água gelada, senti-la descendo pela garganta até se perder pelas entranhas do nosso corpo.

Certa vez um médico me disse que tenho tanta pressa que nem paciência para cagar eu tinha. Sentava no vaso, conta até três e já saia do banheiro, serviço feito ou não. A partir daí comecei a valorizar as minhas idas ao banheiro, visando melhorar o funcionamento do organismo sem ter que recorrer a iogurtes, coisas naturais ou qualquer outra coisa que o valha. No começo foi um sacrifício, um martírio, ficar sentado lá olhando para as paredes, reparando nas rebarbas do azulejo… Até o dia em que comecei a pensar na vida, nos problemas e tudo mais que estava acontecendo no meu dia. Foi uma verdadeira descoberta, um mundo novo surgiu deste então.

Cada um tem uma maneira de ter o seu momento de reflexão, seja ele antes de dormir, embaixo do chuveiro ou sentado no vaso. Mas voltando ao começo do texto, vivemos correndo e se não temos tempo de beber água, tampouco teremos tempo para tomar um belo banho, daqueles que enfumaçam o banheiro todo. Pensar antes de dormir? Imagina! O corpo cai na cama e você não consegue nem programar o celular para despertar no dia seguinte.

Talvez seja esse um dos principais motivos do stress coletivo. Não temos tempo para essas pequenas coisas, que vão se somando aos problemas maiores, e lutamos para resolver tudo. Queremos abraçar o mundo e nos tornarmos o Messias prometido, pacificando as guerras entre os vizinhos, a cunhada que é insuportável, o cachorro que late de madrugada.

Não meus caros! Vamos nos atentar apenas ao nosso umbigo. Sejamos individuais, mas não individualistas. Saibamos conviver em grupo, mas demarcando o nosso território, o nosso tempo, as nossas necessidades. Mesmo que ela seja apenas… UMA SIMPLES CAGADA!

 

Por uma vida menos integral!

Esta semana estava sem vontade de almoçar, então fui a uma doceria que fica perto do meu trabalho a fim de comprar algumas besteiras para comer durante a tarde na hora que a fome batesse. A oferta de guloseimas é sem fim, desde dip n’ lik, passando por tubos de pringles até barras gigantes de kit-kat. Mas fui objetivo e peguei apenas um pacote de Fandangos de presunto, o meu favorito desde criança, um pacote de trakinas de morango, outro xodó dos tempos de escola e alguns dadinhos e guarda-chuvas de “chocolate”, daqueles bem vagabundos, que o mais próximo do chocolate que aquilo tem, deve ser o apelido do operador da máquina que embala os doces. Mas compra feita, voltei para o escritório todo feliz da vida onde teria uma tarde cheia de açúcares e gordura.

Comecei a reparar nas novas embalagens e já fiquei intrigado, na do salgadinho estava em letras enormes “Sem gordura trans” e na da bolacha a receita mudou e agora contém farinha integral no biscoito. Abri o pacote e biscoito continuava apetitoso como antes, ao menos era o que me parecia antes de colocá-lo na boca. O gosto de farinha já me deixou com vontade de jogá-lo fora, falta de educação seria oferecer aquela coisa horrível para alguém. Tentei comer mais um para ver se não era problema do paladar. Cheguei a consultar a validade, mas ainda faltava mais de um ano para vencer. O problema era a tal da farinha. A fórmula da bolacha que por muitas manhãs me alegrou foi alterada, sem consulta aos consumidores, o que chega a ser um desrespeito. Tais questões em um mundo perfeito deveriam ser convocadas um referendo nacional e decidirmos nas urnas se mudariam ou não à receita original.

Decidi partir para o Fandangos, esse seria menos inofensivo, agora ele era assado, ao invés de frito, o que faria muito bem para o meu colesterol, que não sei a quantas anda, mas isso é uma coisa que só irei me preocupar quando for um homem 3D, ou seja, três dígitos na balança, de resto continuarei a minha vida se me preocupar com isso. Abri o pacote e percebi que o salgadinho realmente estava mais seco, na ponta dos dedos já não ficava mais grudado o farelo, que contrariando nossa boa educação enfiávamos na boca e lambíamos tudo, sem deixar o menor vestígio de sal ou gordura. E assim comi o saco inteiro e Não foi surpresa nenhuma não encontrar mais aquele farelo delicioso no fundo, aquele que esticávamos o saco e inclinávamos a cabeça para trás e ele escorregava maravilhosamente para dentro da nossa boca e passando e depois de engolir passávamos a língua nos lábios, como sinal de saciedade. Só me restou os dadinhos e os guarda-chuvas de chocolate, esses não poderiam me desapontar. Eles permaneciam mal embalados, e isso era um bom sinal, os cabinhos continuavam com rebarba, feito com aquele plástico bem ruim, e que mesmo assim ficávamos mascando incansavelmente depois de comer o chocolate. Quando abri o primeiro dadinho percebi que ele estava mais claro, mais pálido, quase sem vida. Pensei que talvez fosse apenas por estar velho, mas não, definitivamente não. A geração saúde chegou até a fábrica de dadinhos. Ele esta agora sem gosto, sem gordura, sem nada. O espírito saudosista estava ganhando força e esse é um que eu gosto de deixá-lo bem escondido, não gosto de viver de passado. Mas foi um golpe duro demais para mim, uma seqüência de chutes e socos que me senti o Belfort apanhando do Anderson Silva.

Para minha sorte, aqueles pequenos chocolates mantiveram suas raízes, o gosto de gordura saciou meu paladar e ao menos pude ser feliz em alguns segundos. Tamanha frustração foi o meu almoço. Justo eu, que acredito que um dos poucos prazeres dessa vida é justamente esse, poder saborear uma boa comida, com todos os ingredientes que compõem o figuro, não poderia estar vivenciando aquilo. Me vem logo à cabeça um mundo cheio de pílulas iguais as de astronauta, comidas cada vez mais sem gosto, sem vida.

Culpa de quem? Dessa geração saúde, viciada em barrinhas de cereais feitas de serragem com granola, que passa a vida comendo sementes e folhas, e faz o paladar esquecer o sabor da vida. De uma picanha bem suculenta, com aquela capa de gordura, ou então de uma macarronada com muito queijo ralado. Trocam tudo isso por um prato de alface e chicória, e uma porção de frutas secas. Sacrifícios para alcançar um corpo perfeito, e exibi-lo por ai como se exibem os frangos que ficam a girar nas padarias de domingo.

Outro quarto, outro mundo!

Voltando para a minha nova casa, me peguei pensando em quantas vezes nos últimos anos disse “Eu poderia viver dentro do meu quarto tranquilamente. Lá tem tudo que eu preciso”. Hoje eu tenho um quarto, apenas um quarto e com sorte um banheiro.  Não preciso dividi-lo com ninguém. Ao contrário de muitos amigos que conheço que não contam com tal privilégio como eu.  Algumas pessoas não são apegadas a essas comodidades, mas eu ainda sou um espírito em evolução e preciso de um banheiro só meu, talvez possa dividi-lo no máximo com a minha namorada e família. De resto vou me sentir um palestino invadindo Israel.

Chegando em casa, ao abrir a porta e cobrir o pequeno cômodo com os olhos exclamei “quantas vezes falei e ouvi. Posso viver apenas com isso”. Desprezando o resto. Como fiz sempre com a minha velha casa. Tinha sala e cozinha, a área de serviço tinha uma bela vista, dava para ver a Marginal cortando São Paulo e boa parte da Zona Norte, o Playcenter, o Bairro do Limão e mais para longe Santana. Mas poucas vezes fiquei por lá contemplando o nada. A mesa de jantar quase nunca usei, a não ser para jogar o jornal do dia e as correspondências. A rede na sala era algo fantástico, mas conto nos dedos o tempo em que me deitei para assistir tevê por ali.

Passei os últimos 4 anos dentro do meu quarto, de onde conversava com meu pai apenas quando escutava alguma coisa através dos fones. Pensei que viveria por mais alguns anos naquele pequeno mundo, com meus livros, DVDs, a cama e o computador.O típico mundo de um capricorniano. Mas isso é assunto para outro post.

Mas a roda da vida girou e agora após seis meses estou em outro quarto. Que no momento posso chama-lo de meu, pela bagatela mensal de muitas moedas de ouro. Uma cama, um computador, um armário. A casa não é minha, falta liberdade, e privacidade, por mais a vontade que a dona da casa me deixa. Mas faltam os meus copos, os pratos, o sofá e a mesa para deixar as correspondências. Falta a minh’Alma neste lugar. Fincar a minha bandeira e marcar meu território. Fazer xixi no carpete, roer o batente e latir para as visitas. Esta faltando a minha casa.

Posso falar por mim, e aprendi a não medir as pessoas pela minha régua, portanto agora penso, que dei mais importância para algumas coisas e pouca para tantas outras, achando que elas estariam sempre ali ao meu alcance, mas quis o destino leva-las para longe. Algumas eu nunca mais terei e tantas outras terei um longo caminho a percorrer para poder reencontra-las. Estarei pronto para essa caminhada? Só o tempo terá a resposta.

Os números de 2011

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blog.

Aqui está um resumo:

Um comboio do metrô de Nova Iorque transporta 1.200 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 7.800 vezes em 2011. Se fosse um comboio, eram precisas 7 viagens para que toda gente o visitasse.

Clique aqui para ver o relatório completo

Cásper Campeã do JUCA 2011!!!

Já se passava do meio dia quando meu celular tocou. Todos em casa sentados a mesa almoçando, mãe, pai, irmã e ela que sempre me liga também estava presente, minha namorada. Por um minuto hesitei em atender, afinal de contas era domingo e provavelmente deveria ser engano, mas para minha alegria futura ele foi insistente e continuou tocando. Resolvi atender, e do outro lado ouvia apenas gritos, e uma multidão gritando, pensei em algum amigo indo ao jogo do Corinthians, que na mesma tarde iria enfrentar o São Paulo, e depois de uns quatro gritos de “alô, não estou te ouvindo”, consegui identificar a voz do meu velho amigo Felippe Rosell o grande Puff, rouco e extasiado que ao longe naquela ligação maluca apenas gritava: “Boituvaaaaaaa, a Cásper foi campeã do JUCA!”.

Neste momento pude sentir uma lágrima de felicidade rolar. Minha voz quase não saia, engasguei e só consiga gritar do outro lado “Eu não acreditoooo, a Cásper campeãããã, Putaquepariu”. Emoção incomparável, indescritível, mesmo a quilômetros de distância eu podia imaginar a festa que estava acontecendo naquele momento. Logo eu que nunca participei de nenhuma equipe da faculdade, freqüentei poucas baladas e cervejadas e fui a apenas a UM Juca, estava emocionado com o titulo inédito do exército vermelho.

Foi só no terceiro ano de faculdade que pude finalmente saber o que é ficar quatro dias sem dormir, sem tomar banho e que assim seja como diz os versos de uma das músicas da melhor bateria de todas regida por Mestre Tieta. Foi no longínquo ano de 2006 que partimos rumo a Registro para vibrar, cantar, e empurrar nossos atletas rumo ao Olimpo Universitário. Pude presenciar algumas vitórias e muitas derrotas. Mas o espírito era apenas um, torcer, defender o nosso pavilhão vermelho e branco de todos os nossos adversários, ou inimigos como os sardinhas, voltar para casa com o corpo estraçalhado, mas com a alma lavada. Naquele ano a melhor música da bateria foi entoada pela primeira vez e até hoje todo casperiano canta com orgulho “Eu sou sempre caspereeeer, sempre contigo caspereeeer, só eu sei por que não fico em casa”. Três linhas que resumem perfeitamente o espírito de todos aqueles que freqüentam ou freqüentaram os labirintos daquele velho prédio na Avenida Paulista.

Depois disso muita coisa aconteceu. Ano de TCC, extinção do nosso curso, formatura e nunca mais pude ir a um JUCA, mas quando chega o feriado, aonde quer que eu esteja sempre imagino o que possa estar acontecendo com a nossa querida Cásper, aguardo ansioso por noticias, saber o que ganhamos de quem, sempre imaginando quando chegaria a nossa hora, até que finalmente ela veio, e junto com os únicos representantes de TURISMO no meio daquele exército de comunicadores, Judas e Puff, pelo telefone pude gritar É CAMPEÃ!

SOU MAIS CÁSPER!!!

Meus presentes de Aniversário! Finalizado!

Estava muito empolgado com a idéia de fazer 25 anos. N fatores me deixaram animado para que esta data chegasse, e enfim aqui ela está. Durante a semana fui alimentando várias idéias do que gostaria de fazer para comemorar e juntar com essa nova paixão que descobri ser este blog. Decidi pedir para 25 pessoas, amigos de longa data, amigos que conheci há pouco tempo, familiares, pessoas que trabalham comigo para que me mandasse qualquer coisa, seja texto, foto, música, recado que lembrasse de mim.

Este ano talvez seja um ano de grandes mudanças, está é a minha perspectiva para esta vigésima quinta primavera, por isso nada melhor do que ver com os olhos dos outros aquilo que não quero enxergar dentro de mim. E abaixo estão alguns deles.

P.S: Não consegui falar com 25 pessoas, outras estão doentes, como o caso do meu parceiro Ferosell, outros ainda não conseguiram finalizar. Por isso este post será atualizado sempre que receber algo novo.

* Com este video que a Nathalia fez e o texto de minha mãe, encerro este post dizendo a todos, MUITO OBRIGADO! O melhor presente que já recebi, sem dúvida alguma!

 

Presente da Minha Mãe

Thiago

O momento hoje de sua vida é de transformações, tudo o que eu desejo para você, é que Deus te ilumine, pois nem sempre temos serenidade para enfrentar alguns desafios e acabamos nos machucando. Você sempre foi determinado e passível de mudanças. Quantas perguntas sem respostas ficaram nesta sua cabeça, quantas incertezas, até o momento de você direcionar a sua vida. O momento mais difícil foi olhar você indo embora para buscar novos caminhos. Foi então que eu percebi que o meu Thi tinha crescido se tornado um homem e estava buscando um futuro. Tive momentos difíceis, mas superados com a felicidade de meu filho ter passado na faculdade. O tempo passou você se formou e hoje eu estou agradecendo a Deus pelo filho amado que eu tenho (apesar de ser um pouco ciumento), um neto muito querido, pois o valor que nós lhe passamos de família fez que você construísse um alicerce para sua vida. Com muito amor. Mamãe.

 

Presente da Nathalia (Parte II)

 

 

Presente da Xubas

 

Presente da Vanessa

”Meu presente para sua natureza romântica”

 

Presente da  Lisieux

 

Presente da Natalia

 

Presente do Leandro

 

Presente da Lisebing

 

Toda felicidade do mundo neste teu dia. só delicinhas e surpresas incríveis, pois tu é um fofo e eu te adoro muito.
milhões de beijos, seu lindo. Ter te conhecido é uma delicia cada dia

 

Presente da Nandoca


Thi,
Muitas coisas me fazem lembrar de você.
Boituva, Boi Sentado, conversas no MSN, a região da Água Branca/Barra Funda, o “curintia”, músicas eletrônicas, viagens pela América do Sul.
Mas acho que o que melhor pode representar minhas lembranças é a foto de um busão!!! Rs
Muitas vezes, passo ANOS sem encontrar meus VIZINHOS, que moram no meu próprio prédio! São Paulo é um caos, correria, loucura, as pessoas estão próximas e ao mesmo tempo distantes.
Mas com a gente foi o contrário. Éramos mais distantes, até nos aproximarmos por coincidências loucas em plena manhã! Se encontrar alguém uma vez já é muuuuita sorte, o que dirá encontrar duas vezes, a mesma pessoa, no mesmo busão, no mesmo horário, totalmente por acaso! Porque um se atrasou ou o outro saiu mais cedo…
Lembro de você tomando seu “café da manhã”, todo sonolento, e eu para variar tagarelando e pensando “Coitado, ele deve estar achando um porre ter me encontrado!! rs” ou eu assustada porque encontrei um conhecido logo cedo, toda bagunçada e com cara de sono!! Ahahah
Foi legal!
Depois disso passei a te procurar dentro dos ônibus sempre que entrava… E nunca mais te vi.
Mas a graça da vida é essa: o inesperado, o surpreendente.
Que possamos nos encontrar mais vezes, seja por acaso ou mesmo combinando algo. Agora que sabemos que temos amigas que são amigas, talvez facilite!!!
Quero que saiba que fiquei feliz de fazer parte do seleto grupo de 25 amigos a te fazerem essa surpresa… E que seu aniversário seja muito comemorado, com diversos motivos para celebrar e outros tantos para planejar. Afinal, a vida está só começando!! Ainda há muito que explorar, viver e ser feliz!!!
Parabéns!!

 

Presente da Mirella

Multifacetado: que apresenta muitas facetas; multiface. Que tem muitas faces ou muitos aspectos.

 

Ele é, simplesmente, um homem multifacetado! E isso já diz tudo…

Feliz aniversário, homem da música eletrônica, do Turismo, da comida japonesa, da paciência, da moda, das fantasias, da política, do rock´n´roll, do All Star, do futebol, das poesias, dos conselhos, do bom senso, da balada, dos amigos, da cidade do interior, do carinho, do underground, da ousadia… parabéns por apresentar tantas e tantas faces tão interessantes!

 

Presente da Sil

Feliz daqueles que podem dizer, eu tenho uma amizade verdadeira, tenho um amigo ou uma amiga com quem posso contar em qualquer momento, esse é um dos maiores tesouros que podemos conquistar ao longo de nossa vida. Esse texto fala sobre o que é uma amizade verdadeira, seus atributos, suas virtudes.

Amizade Verdadeira

É quando nunca estamos cansados para ouvir;

É quando existe um carinho todo especial;

É quando ficamos preocupados com coisas que achamos que estão erradas;

É quando o amigo se faz presente até nas horas em que achamos que não são precisas;

É quando existe cumplicidade;

É quando temos plena confiança;

É quando tentamos abrir os olhos do amigo;

Quando julgamos que esteja fazendo coisa errada não abandonamos.

Enfim, amizade é um bem muito precioso que precisamos conservar sempre, mesmo com todas as dificuldades que a amizade possa oferecer.

Amigos são pessoas muito importantes em nossas vidas, que temos que ter e saber sempre.

(Cecília Antunes)

Presente da Tia Ana

THIAGO SER…

Transcedental
Honesto
Inteligente
Amigo
Gentil e emissor de..
Ondas de paixão e paz

Bjs no seu coração com carinho Tia Ana

ah feliz aniversário, são os votos de todos nós aqui Tio Junior, Gui Vini e eu claro

 

Presente da Bia

 

É engraçado como as horas passam, os dias correm os anos fogem frente aos nossos olhos cegos e o tempo se vai ágil e silencioso. Como o mundo gira e, mesmo quando queira, não pode parar. É um segundo agora e outro segue. Segue devidamente em seu tempo e ritmo, em seu plano visível ou não. Construindo tantos momentos diferentes e únicos simultaneamente. Manejando uma quantidade absurda de histórias e aventuras provenientes de tantas vidas e seres que ele, esse tal Sr. Tempo, constrói só por ser o que é por fazer o que tem que fazer.
Há quem diga que tudo gira em torno do tempo. Para alguns, o insignificante. Para outros, o controlador. É imprevisível, mas é eficaz e necessário. Parece inquestionável, mas no fundo é mais vivo do que muitos podem ver ou entender.
Pois é exatamente assim que eu descreveria você, primo.
É engraçado como os anos se passaram muito rápido pra que eu pudesse perceber que aquele meu primo que sempre animava as festas de família com suas danças, palavras e risadas cresceu e como aquela pirralha que tinha esse primo como um ídolo também cresceu. Mas não cresceu somente de tamanho, cresceu também de coração, de carinho e sonhos montados em cima de pessoas como você. E ao redor dessa imagem linda e dessa forte e infalível raiz, essa pirralha se tornou nisso, nisso que eu sou. Nisso que admira muito a sua pessoa.
Como o mundo gira e, mesmo com todos os tombos que você já levou nesses seus vinte e cinco e bem vividos anos de vida, você não parou. E assim vai ser com os próximos também. Não pode parar. Você vai continuar firme e forte. E superando tudo com esse sorriso encantador no rosto!
É um segundo e outro segue devidamente. Assim como deve ser. Um passo após o outro devidamente em seu ritmo. Em seu plano visível ou não. Como o que você vê e como o que você sente. Como não só o que você é por fora, superficialmente, mas como o que você é por dentro, essencialmente.
E essas histórias e aventuras como a nossa, desde sempre até sempre ligadas, acontecendo ao mesmo tempo, como só mais uma, mas tão importante pra gente.
E o Sr. Tempo é você mesmo. Que maneja tantas situações fazendo delas inesquecíveis e imprescindíveis só sendo o que é e fazendo o que tem que fazer. Pois é, Sr. Tempo, tudo gira em torno de você. E os que dizem que o que faz é insignificante estão tão certos como os que dizem que é controlador. Porque é sim insignificante, mas é importante pra mim. E é também controlador, pois você é o Sr. do teu próprio destino. É tudo muito imprevisível, mas no final é certo e o necessário. São tuas escolhas e elas são o melhor pra você. Parece inquestionável, mas só parece, porque tudo e todos têm razões e, no fundo, transborda muito mais vida do que muitos podem perceber.
Tenha certeza disso, primo. Da forma que você esteja você transborda vida, você exala vida, você irradia vida. Nunca deixe que algo o faça mudar, Sr. Tempo. Porque eu, como muitos outros, amo muito você e quero ver e ter você pra sempre assim: feliz e vivo! E que venham os próximos vinte cinco pra você enfrentar. E, claro, pra eu enfrentar ao teu lado.

 

Presente da Carol

Não sou boa com palavras, mas foi o que saiu…

Poderia te descrever usando mil palavras e textos bonitos, mas como
pessoas, somos mutáveis e justamente por isso não há como fazer
descrições, apenas dar pinceladas de nós mesmos. Dentro de minha
insignificância, posso tentar pintar um quadro aproximado do real,
mostrando algumas de suas qualidades.
Hoje você já é um homem, saiu do papel de menino (ufa!!) e cresceu,
amadureceu, tornou-se uma pessoa diferente, mais forte, mais decidido.
Talento sobra em você, muita criatividade e senso de humor, e hoje uma
vontade de provar quem você é. Adelante!!! Capacidade e potencial
transbordam de ti. O que falta é só uma oportunidade, que chegará em
breve, tenho certeza! Só não esqueça de seus valores e sua essência, e
não queira impressionar ninguém, mesmo que a situação te obrigue a
isso, lembre-se:

“Viva a tua maneira
Não perca a estribeira
Saiba do teu valor
E amanheça brilhando mais forte
Que a estrela do norte
Que a noite entregou”

Seja feliz!!

 

Presente da Mayara

Para você, meus pára-choques!

Pois é tiozão, to aqui, as 4:30 da manhã de uma sexta-feira de insônia, para te escrever essa carta de aniversario.
Os amantes da madrugada sabem como ela é mais inspiradora. (Inclusive e principalmente você)
Te conheci por acaso, no primeiro sábado de Dezembro, e juro que gostaria te conhecer a mais tempo.
Porém acho que já descobri um pouco desse ser estranho que se intitula Thiago Melo…
E como esse ser fala!
Mas tenho que admitir, eu adoro. Pois não falta assunto. E eles se desenrolam e vão para outros e, já reparou que acabamos por não concluir nenhum?
Tenho que te agradecer, por mais que eu odeie essa palavra você realmente me influenciou nessa virada de ano…
Eu tenho um blog, e a culpa é totalmente sua!
Bem, vamos parar de falar de mim, embora eu seja muito mais interessante que você, o aniversario ainda é seu. (hehe)
Homem que tem uma cara de mau, pra esconder um menino não tão mau assim.
Totalmente viciado em tecnologias e informações sobre o mundo…
Capricorniano explicito! Com aquela pitada de Áries…
Sabe o que quer, e como chegar lá.
Em questões pessoais, humildade passa longe não é?! Você se torna leonino…
Ta bem, ta bem… Eu admito que você é apaixonante… (ta feliz agora??? hauehahee)
E não tem como falar de você e não abordar o tema: MÚSICA!
Ainda quero te ver nessas casas noturnas de Sampa, botando pra quebrar!
Você tem ouvido pra isso.
E realmente deveria investir…
Falta aquele momento retro da baladinha pra dançar junto… (anos 80 rulez!)
Pois é menino, gosto muito de você, te peguei nessa crise de bodas de prata, mas mesmo assim tu és um cara admirável.
Se não fosse a barba eu até pensaria em ser como você quando crescer…(^^)
Agora vamos aos meus votos para sua nova idade:
Fora o blá blá blá que você vai ouvir e ler o dia todo, Desejo que você tenha mais escadas e força pra subi-las, que você arrisque mais e pense menos, que você pare de desejar se apaixonar e realmente se apaixone todos os dias, que você durma umas horas a mais, porém que aproveite com mais diversão as que está acordado. E venha mais pra cá, porque amigo bão é assim, tem que vir visitar a atriz falida do interior! Suas visitas são deveras divertidas… (huhu)
E essa carta ta ficando grande demais pra quem se conhece a menos de dois meses.

Então é isso aí meu bem… Que sua crise dos 25, passe antes que a minha dos 19 comece, porque você vai ter que me apoiar… (hunf)

[comentário só pra te sacanear com a diferença de idade ahueahuheuahea]

Beijos meu anjo, e boa sorte nessa nova idade.

Ah, e ainda tem um bônus:

A primeira musica que me passou pelo MSN  ô/

The Yellow Moon Band – Focussed

 

Presente da Carlota

“Pra falar verdade, às vezes minto

Tentando ser metade do inteiro que eu sinto

Pra dizer às vezes que às vezes não digo

Sou capaz de fazer da minha briga meu abrigo (…)”

“Teu sorriso eu vou deixar na estante, pra eu ter um dia melhor.”

“Não acomodar o que incomoda.”

“Só enquanto eu respirar, eu vou me lembrar de você.”

“Eu sinto que sei que sou um tanto bem maior.”

“Todo sopro que apaga uma chama Reacende o que for pra ficar”

“Quando alguém te disser tá errado ou errada que não vai S na cebola que não vai S em feliz

Que o X pode ter som de Z e o CH pode ter som de X

Acredito que errado é aquele que fala correto e não vive o que diz”

 

O dia mente a cor da noite
E o diamante a cor dos olhos
Os olhos mentem dia e noite a dor da gente”

Enquanto houver você do outro lado
Aqui do outro eu consigo me orientar
A cena repete a cena se inverte
enchendo a minha alma d’aquilo que outrora eu deixei
de acreditar

tua palavra, tua história
tua verdade fazendo escola
e tua ausência fazendo silêncio em todo lugar

metade de mim agora é assim
de um lado a poesia o verbo a saudade
do outro a luta, a força e a coragem pra chegar no fim
e o fim é belo incerto… depende de como você vê
o novo, o credo, a fé que você deposita em você e só

Só enquanto eu respirar
Vou me lembrar de você

 

Presente da Ci

Me lembro de você…

Ei lembra de mim?

Daquele começo de ano, daquele começo de noite, daquele começo de vida?

Lembra de mim de quando eu não te vi e você não me enxergou?

Lembra que o mundo estava quieto enquanto a gente se ocupava em falar, lembra?

Se esqueceu de como o vento cortava, o pensamento voava e a gente não entendia?

Então se lembre daquele dia

Mesmo quando te faltar a memória pras coisas da vida.

Mesmo quando o calendário se perca nos dias

E as horas cheguem e vão devagar e vazias

Escreva, desenhe, cante e pinte aquela tarde

Do dia que não te vi, do dia que não te conheci

E do sentimento do eu já sabia…

Presente do Diego


Presente do Ferosell

Quando o Boituva me pediu pra escrever esse texto eu fiquei meio cabreiro.

Primeiro porque ele começou falando assim no googletalk:

– Preciso te pedir uma coisa, mas é meio gay.

Pensei comigo, fodeu, ele tá saindo dos 24 anos e agora se decidiu. Menos mal que ele pediu que eu escrevesse um texto, mandasse uma foto ou uma música que lembrasse ele.

Segundo porque temos um blog juntos, que, apesar de estar fora do ar, escrevemos muita coisa por lá, então não sabia o que escrever.

Mas pensei como eu conheço esse cara há seis anos e como fizemos quatro anos de faculdade e mais seis Reveillons juntos, acho que eu tenho um par de coisas pra falar, uma dúzia de fotos de alguns roles e várias músicas. Mas acabei resolvendo escrever sobre como vejo a evolução de um cara que eu conheci com 18 anos e com o tempo se tornou o que eu posso chamar de melhor amigo.

Como já disse o conheci na faculdade. Ele era um cara gente boa e leal aos seus amigos desde sempre, mas eu vejo que ele aprendeu muita coisa desde lá, por exemplo, se hoje ele é um cara mais calmo e sossegado, antigamente ele não pensava duas vezes antes de enfiar o dedo no nariz de alguém que batesse de frente com ele ou um amigo (salve sobrinhos!).

Sabe esse cara que já viajou duas vezes pra Argentina e mal vê à hora de curtir a noite carioca? É o mesmo que tinha urticária quando ouvia um sotaque que puxasse o r de um garoto experrto e tinha planos de transformar Buenos Aires em um grande estacionamento.

E esse conhecimento musical, de dar inveja em muita gente, que vai de música brasileira ao rock mais variado, do samba a música eletrônica? Olha, se ele já o tinha quando eu o conheci ele guardava só pra ele, porque o que se via era só eletrônico e pagode/axé.

Acho que vocês já leram muita coisa sobre o que ele e nós todos passamos durante quase toda a década passada, mas queria só mostrar um pouco do que, na minha visão, é a maior evolução entre os que me acompanharam durante essa década.

Parabéns mano e Keep Walking…

 

 

 

Filmes da Mostra Internacional que pretendo assistir

Um dos eventos realizados em São Paulo que mais gosto, é a Mostra Internacional de Cinema. Este ano em sua 34º edição, serão mais de 400 títulos entre filmes e documentários de todas as partes do mundo.

Não sou um cinéfilo, muito menos crítico, mas gosto desta manifestação de arte, que é o cinema. Fiz uma pequena lista, com os filmes que tentarei assistir. Alguns eu tive que deixar de fora pelo horário de exibição, já que a Mostra começa dia 22 (sexta agora) e termina dia 04 de novembro, e alguns filmes fazem parte da programação da tarde.

Algumas produções nacionais me chamaram a atenção, fugindo daquele tema já batido, violência urbana, vida sofrida no sertão e afins.

Peguei a sinopse de cada filme, o país de origem e no final o link com os horários e cinemas que serão exibidos:

A Mulher Invisível – (França) – Lili tem um problema raro: de vez em quando ela fica invisível e, mesmo que sua habilidade mágica seja às vezes útil, tornou-se um fardo para ela. As pessoas à sua volta ficam intrigadas com seus desaparecimentos repentinos e a vêem como distraída, ausente e irritante. Lili acredita que as pessoas a ignoram e olham para ela como se não estivesse ali. Mas seu problema é maior do que parece.

A Sociedade Do Semáforo – (França, Colômbia) –  Ao aplicar todo o seu conhecimento em eletricidade e eletrônica, Raúl Tréllez, um mendigo que vive nas ruas do centro de Bogotá, luta para controlar o tempo do sinal vermelho para que malabaristas, aleijados e moradores de rua consigam mais tempo para seu shows.

A Cidade Abaixo –  (França, Alemanha) – Um homem e uma mulher se encontram em uma galeria de arte e compartilham um momento fugaz de atração, mas nenhum deles toma iniciativa. Dias depois, os dois estranhos (ambos casados) se encontram por acaso, resolvem tomar um café juntos e brincam com o inexplicável fascínio que sentem um pelo outro. Svenja está em um quarto de hotel com Roland, mas não consegue consumar o caso. Roland é um poderoso executivo do banco onde o marido de Svenja trabalha e arquiteta a transferência dele para a Indonésia para substituir um gerente recém-assassinado. Sem saber das ações de Roland, Svenja deixa de resistir.

Boca do Lixo – (Brasil) – Oriundo de uma família de classe média alta, Hiroito de Moraes frequentava a Boca do Lixo, região de prostituição no centro de São Paulo dos anos 50 e 60, apenas como boêmio em busca de aventuras sexuais. Até que uma tragédia pessoal provoca uma mudança em sua vida: seu pai é violentamente assassinado e ele é acusado pelo crime. Dois meses depois, Hiroito compra dois revólveres, muda-se para a Boca e rapidamente se transforma em um dos bandidos mais procurados pela polícia da época. Adaptado da autobiografia de Hiroito de Moraes Joanides.

Bróder – (Brasil) – Macu, Jaiminho e Pibe seguiram caminhos bem diferentes. Jaiminho conquistou sucesso, fama e dinheiro ao tornar-se jogador de futebol. Pibe trabalha duro como corretor de seguros para se manter. Por sua vez, Macu acabou trilhando caminhos obscuros. Os três amigos se reúnem em uma festa surpresa de aniversário. Uma situação aparentemente simples ganha contornos maiores com conflitos do passado e um dilema de vida ou morte.

Clube do Suicídio – (Alemanha) – Ao nascer do sol, cinco pessoas se encontram no topo de um arranha-céu para se jogar lá de cima. Eles não sabem os nomes uns dos outros, nem os motivos que os levam a se matar dessa forma. Compartilham apenas o medo de que algum deles pule a qualquer instante. Uma série de situações imprevistas os obriga a passar um dia inteiro na cobertura do prédio. Aos poucos, a rejeição inicial entre eles se transforma em uma aliança imprevista.

O Garoto de Liverpool – (Canadá, Reino Unido) – John, um jovem inteligente e solitário, vive pelas ruas da agitada Liverpool sonhando em ser como o rei Elvis Presley, tentando encontrar seu papel no mundo. Criado pela tia Mimi, ele encontra no rock um lugar para expor seus dilemas e sua energia. Ao lado de Paul, seu amigo mais próximo, que esse garoto de Liverpool conquistou o mundo com sua genialidade.

Transfer – (Alemanha) – Hermann e sua mulher Anna estão no fim da vida e sonham em começar de novo. Em um sanatório, cientistas alemães apresentam a eles a oportunidade de comprar os corpos de Apolain e Sarah, dois africanos jovens, bonitos e saudáveis, que decidiram vender seus últimos bens para assegurar a sobrevivência da família na África. Graças ao Transportador de Personalidade, Hermann e Anna controlam esses corpos 20 horas por dia. Nas quatro horas restantes, depois que Hermann e Anna dormem, Apolain e Sarah podem assumir o controle de suas próprias vidas.

Vips – (Brasil) – Quantas personalidades cabem dentro de um só homem? Desde pequeno, Marcelo da Rocha tem muita dificuldade de viver com sua identidade. Seu maior prazer é imitar as pessoas e se passar pelos outros. Alimentando o sonho de aprender a voar e tornar-se piloto como o pai, Marcelo foge da casa da mãe e começa a maior aventura de sua vida, cada vez se passando por uma pessoa diferente. Até dar o maior golpe de sua vida: fazer-se passar pelo empresário Henrique Constantino, filho do dono da companhia aérea Gol, em uma grande festa no Recife.

Site da Mostra: http://br.mostra.org/ Nele você pode encontrar todas as infos sobre horários das sessões, locais de exibição e valores dos ingressos.

Conversa de pai para filho

Depois de ler está noticia. Fiquei imaginando como seria o diálogo entre o Neymala pai e o Neymala filho.

Após conversar com o pai, Neymar é liberado para continuar no Twitter

fonte:  http://globoesporte.globo.com/futebol/times/santos/noticia/2010/09/apos-conversa-com-o-pai-neymar-vai-continuar-utilizando-o-twitter.html

Vamos ao diálogo:

Neymala pai: – Filho, acho  melhor a partir de hoje você não usar mais o twitter.

Neymala filho: – Eu vou usar o twitter, quando eu quiser!

Neymala pai: – Eu sou seu pai, e acho bom você me obedecer.

Neymala filho: – E sou eu quem pagou essa cobertura de 2 andares de frente para o mar, te deu a X5 que está na garagem, este relógio e essa corrente de ouro 24k no seu aniversário e está roupa Armani que você está vestindo!

Neymala pai: – Está aqui seu Iphone de volta.

%d blogueiros gostam disto: