Arquivos do Blog

Uma reflexão de merda!

Foi justamente em um dos únicos momentos do dia em que paro para pensar na vida, que comecei a pensar na idéia deste texto. Não! Não foi sentado no trono (mas iria a calhar também), mas embaixo do chuveiro que comecei a pensar em como esses poucos momentos fazem toda a diferença na nossa vida.

Vivemos cada dia correndo mais e mais, sabe-se lá para se chegar aonde, mas continuamosem frente. E observando as pessoas aqui da repartição, vejo que muitas nem água conseguem tomar durante o dia. Além de todos os problemas fisiológicos que isso pode acarretar, a pessoa não tem um tempo para respirar fundo, dar um gole naquela água gelada, senti-la descendo pela garganta até se perder pelas entranhas do nosso corpo.

Certa vez um médico me disse que tenho tanta pressa que nem paciência para cagar eu tinha. Sentava no vaso, conta até três e já saia do banheiro, serviço feito ou não. A partir daí comecei a valorizar as minhas idas ao banheiro, visando melhorar o funcionamento do organismo sem ter que recorrer a iogurtes, coisas naturais ou qualquer outra coisa que o valha. No começo foi um sacrifício, um martírio, ficar sentado lá olhando para as paredes, reparando nas rebarbas do azulejo… Até o dia em que comecei a pensar na vida, nos problemas e tudo mais que estava acontecendo no meu dia. Foi uma verdadeira descoberta, um mundo novo surgiu deste então.

Cada um tem uma maneira de ter o seu momento de reflexão, seja ele antes de dormir, embaixo do chuveiro ou sentado no vaso. Mas voltando ao começo do texto, vivemos correndo e se não temos tempo de beber água, tampouco teremos tempo para tomar um belo banho, daqueles que enfumaçam o banheiro todo. Pensar antes de dormir? Imagina! O corpo cai na cama e você não consegue nem programar o celular para despertar no dia seguinte.

Talvez seja esse um dos principais motivos do stress coletivo. Não temos tempo para essas pequenas coisas, que vão se somando aos problemas maiores, e lutamos para resolver tudo. Queremos abraçar o mundo e nos tornarmos o Messias prometido, pacificando as guerras entre os vizinhos, a cunhada que é insuportável, o cachorro que late de madrugada.

Não meus caros! Vamos nos atentar apenas ao nosso umbigo. Sejamos individuais, mas não individualistas. Saibamos conviver em grupo, mas demarcando o nosso território, o nosso tempo, as nossas necessidades. Mesmo que ela seja apenas… UMA SIMPLES CAGADA!

 

Anúncios

Amadurecência

 

Não sei bem ao certo quando tudo isso aconteceu. Sem dia, ou hora marcada, acho que definitivamente ela chegou. Ainda tenho rompantes de certos comportamentos juvenis, mas hoje em dia eles não são o norte na minha vida. Afinal de contas, quem não gosta de extravasar às vezes? Só sei que agora ela faz parte de mim. Que coisa engraçada, e eu que pensei que ela nunca chegaria. Mas ela veio, e agora é para ficar. Estou falando da maturidade.

Talvez, acredito que ela não se faça presente na sua melhor forma, mas sinto que ela já está comigo há algum tempo. O mais engraçado disso tudo é que ela chega sorrateiramente, sem dar sinais aparentes, se instala, e quando nos damos conta, ela já participa da nossa vida.

Pude notar algumas manifestações, de sua presença em alguns acontecimentos recentes, não só na minha vida, mas de alguns amigos. Mas preciso me certificar se isso são sinais de amadurecimento, ou cansaço causado pelo stress do dia a dia, afinal de contas, passado o período pós-faculdade, todos agora trabalham, e possuem responsabilidades (olha um sintoma dela).

Não estou falando que agora estou pronto para casar, construir uma família feliz e ter uma casa no campo. Cada um expressa o seu crescimento de uma forma diferente. Mas tudo converge para isto, nos tornarmos maduros.

Os exemplos se tornam os mais clássicos possíveis, coisas daquele tipo “eu jamais faria, falaria, usaria ou qualquer verbo ia que você souber conjugar”, mais cedo ou tarde você fará, isso é um fato. Idéias utópicas adolescentes ficam no passado, não são levadas a sério no “mundo adulto”, e não é porque todo mundo acha ridículo e sim porque você se sente ridículo por pensar/agir desta forma. O mundo muda, as pessoas mudam, e todas aquelas frases clichês que os mais velhos te falam e você não quer dar ouvidos, acabam por acontecer. Isso é mais uma constatação triste.

Quando se é mais novo, não ligamos para aquilo que os “adultos” dizem, pensamos sempre, “serei à exceção desta regra idiota” ou então “regras nasceram para serem quebradas”. Mas não, você não se torna a exceção ou muito menos infringe alguma regra, no muito a lei do silêncio do seu prédio e olhe lá. Você luta de todas as formas, até não conseguir mais, é impossível nadar contra a correnteza. Algumas pessoas se afogam no caminho, outras passam a vida tentando, se esforçando, a cada duas braçadas para frente comemoram como uma vitória, não percebendo que deram oito para trás.

Tornamo-nos mais seletivos, decidimos nos dar o luxo de comermos melhor, nos vestirmos melhor, nos presentear com mimos mais caros. Afinal de contas, trabalhamos exaustivamente a semana toda, isso é o mínimo que podemos fazer por nós mesmos.

O pique juvenil diminui drasticamente, as conseqüências de uma noite mal dormida se arrastam por semanas. Não agüentamos mais aquelas maratonas da época da faculdade que começavam na quinta e terminavam só na segunda  a noite depois da aula. Comer qualquer porcaria no X-Unha da vida, para enganar a fome e dormir só no trajeto do ônibus para casa nem pensar. Você agora pensa duas, três, vinte vezes antes de encarar qualquer balada em plena quarta-feira. Sabe que isso acarretara em problemas sérios no outro dia, como manter os olhos abertos na frente do seu chefe por exemplo. Aquelas viagens em que dormir em qualquer canto já estava de bom tamanho, quando se tinha tempo para dormir, agora se tornaram coisas do passado, você necessita de uma boa cama, e um chuveiro quente depois daquele dia exaustivo. Os “roots” que me desculpem, mas nada melhor que um bom banho quente depois de qualquer trilha no meio do mato.

Tudo isso nos faz perceber apenas uma coisa, estamos quase prontos para sermos colhidos pela safra do grande mundo. Faremos parte desta grande engrenagem que faz o mundo girar, estamos agora em todas as estatísticas como pessoas ativas, economicamente, sexualmente, educacionalmente, doente, entretanto. Então que façamos isso com coragem, desenvoltura, com “espírito moleque” para encarar essa nova fase. Que ela não se torne um fardo pesado que carregaremos pelo resto de nossa vida. Olha a “responsa” falando alto mais uma vez.

%d blogueiros gostam disto: